Loading...

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE


TRÊS ATOS NA BUSCA POR UMA SAÚDE MAIS FORTE

 

PRIMERO ATO: OS REPRESENTANTES

Após a realização de uma série de pré-conferencias pelo município, foi a vez dos gestores da saúde municipal ficarem frente a frente com a população para decidirem os rumos da Saúde Municipal.

Era um momento mais sublime de uma gestão participativa, onde representantes dos poderes públicos, especialistas da área de saúde e profissionais do setor se colocaram à disposição para ouvir críticas, sugestões e, sobretudo, traçar metas que possam elevar a qualidade da saúde pública do município.

O evento foi realizado na manhã dessa terça-feira (22), na sede da Igreja Assembléia de Deus e foi o Pastor Francisco quem deu as boas vindas ao destacar a necessidade de todos abraçarem causa como essa, inclusive a Igreja. “Devemos pensar na coletividade em nome das melhorias”, disse o Pastor ao convidar o público para uma Oração. Ainda postados de pé, foi também executado o momento cívico com o acompanhamento do Hino Nacional.

O prefeito Fabinho foi quem iniciou os discursos e logo se mostrou ciente de existem erros no governo, mas que as Conferências servem justamente para que a população ajude o governo a corrigi-los. “O mais importante do que a gente falar aqui hoje é ouvir vocês e saber onde estamos errando para sermos melhores”, disse o prefeito que, em seguida viu seu parceiro, o vice-prefeito Fabão acrescentar: “A saúde é um desafio diuturno. Nossos recursos são escassos e por isso é preciso ouvir o povo. Então, que todos possam aproveitar o momento para apontar suas demandas e suas ideias para que, assim, possamos utilizar no dia a dia para o fortalecimento da nossa saúde”.

O Parlamento Municipal também registrou sua atenção para com a Saúde, e foi a vereadora Malu quem transmitiu o recado. “Uma Conferência é instituída com intenção exclusiva para se melhorar aquilo que, porventura, não está andando da forma que deveria. Então, esse é o momento para que apontem aquilo que vem dando certo e aquilo que está dando errado, afinal, ter uma saúde cada vez melhor é interesse de todos, prefeito, secretarias e nós, vereadores”.

Conhecedor dos meandros do setor da saúde no município, o Presidente do Conselho Municipal de Saúde, Elvânio Marques, também falou da importância do evento e destacou que o foco mais importante é que a Audiência produzirá material para a confecção do Plano Municipal de Saúde, e o mais importante, de autoria popular. “Não há dúvidas de que fortalecer a Atenção Básica é o caminho para que municípios pequenos como o nosso encontre soluções quanto às demandas”, disse.

A Secretária de Saúde, Darciane Campos, fez questão de ressaltar o sucesso obtido durante as pré-conferências realizadas no município e que a Conferência Pública é o momento em que a população pode auxiliar a secretaria para que possa oferecer uma saúde cada vez mais forte. “A saúde hoje é bem mais complexa do que antes e o país inteiro sofre. Por isso precisamos que todos nós estejamos juntos nessa tarefa em que a qualidade da saúde seja o grande objetivo”, disse a Secretária.

SEGUNDO ATO: AS CONSIDERAÇÕES

Para falar sobre o primeiro tema de discussão, a representante da Superintendência Regional de Saúde, Jussara Bueno, deu início ao seu discurso parabenizando pelo tema proposto, que trazia como pauta central os ‘Desafios do SUS e uma Saúde Pública de Qualidade’. “Se já tínhamos desafios com o SUS, no momento atual esses desafios estão muito maiores. Por isso precisamos defender o SUS, e é com essa participação popular que isso se torna eficaz. Vamos usar esse momento para traçar objetivos para que isso aconteça”, disse Jussara ao prender a atenção do público com uma série de perguntas:

O que temos que fazer para melhorar a saúde da população? Precisa que seja construído hospital;  que tenha maior quantidade de remédios; que aumente a quantidade de exames? Após os questionamentos, ela emendou: “Será que assim vamos melhorar a condição de saúde de uma população?”.

Bom, se o público não saberia responder com tanto otimismo, Jussara apontou um outro questionamento que dá sentido às indagações: “Ou será que a gente vai melhorar a Saúde diminuindo o risco de adoecer?”. Sim! Para Jussara essa é a grande sacada: “Pensar um pouquinho antes da doença, ou seja, diminuir os riscos de adoecer”. Segundo ela, é preciso ter foco para difluir os danos através de um conjunto de ações em que a atenção primaria seja ordenadora. “Nós precisamos de uma atenção primeira fortalecida, sendo a porta de entrada ligada a toda rede de urgência, emergência, saúde mental e odontologia, ou seja, toda rede de assistência precisa estar permeando com a vigilância e saúde, tanto na atenção primaria quanto secundaria”. Resumindo: É preciso que a saúde esteja próxima da população.

O segundo tema a ser debatido ficou por conta de uma outra palestrante que se a exemplo de Jussara, mostrou-se bem conhecedora do assunto. Ana Luiza também é representante da Superintendência Regional de Saúde de Teófilo Otoni e atua no setor de Referência da Saúde da Mulher.

Depois de enalteceu e destacar as habilidades do sexo feminino, Ana Luiza falou da força e das destrezas da mulher, que é mãe, educadora e dona de casa, mas logo chamou a atenção dizendo que essas características todos conseguem enxergar, mas e o que não se enxerga? Perguntou, Ana Luiza, ao afirmar: “Essa mulher está adoecendo!”.

De acordo com ela, isso vem acontecendo por vários fatores e destacou que a mulher está adoecendo devido à sobrecarga de responsabilidade e por falta de um olhar diferenciado para ela e que nos últimos tempos se vê, com muita freqüência, violência doméstica e vários assédios, morais e sexuais, e esse cenário está adoecendo as mulheres e que, segundo Luiza, a vigilância é a principal ferramenta para combater isso. “São vários os fatores que contribuem para o adoecimento da população feminina, mas a que mais nos preocupa é a violência doméstica, esta, muita das vezes, é silenciosa, pois é praticada por esposo e filhos”.

Após a longa conversa com o público, que sinalizava positivamente às considerações feitas por Ana Luiza, ficou o pedido para que as mulheres passem a ter autocuidado como prevenção. “Ela [a mulher] precisa se conhecer e conhecer seu corpo. Qualquer alteração que for detectada de imediato, maior será a chance de cura”, concluiu Ana Luiza ao finalizar com uma mensagem de estímulo: “Está em nossas mãos optar por um jardim colorido ou por um borrão acinzentado. Espero que as mulheres de Novo Oriente de Minas desejam um jardim colorido”.

TERCEIRO ATO: AS PROPOSTAS!

Chegava-se então a parte final da 6ª Conferência Municipal de Saúde de Novo Oriente de Minas e agora entra em cena o consultor de Saúde Valter. “Desde muito novo a gente aprende que falar é muito fácil, mas o participar é muito mais importante que é o que estamos fazendo aqui hoje”, disse o responsável por conduzir a parte final do evento.

Bom, chegava, então, a hora dos “delegados” transmitirem cada um dos problemas previamente detectado através das pré-conferências e as que foram apontadas ali mesmo pela população. Para a tarefa conclusiva do encontro, foram criados cinco grupos que, após elaborarem listas das demandas, fizeram apresentação de tudo aquilo que, segundo eles, a saúde necessita.

Ao passo que cada relatório era apresentado, cabia ao público aprovar ou não e isso foi feito pontualmente. Dentre as dezenas de apontamentos, os que mais se repetiram foi o pedido pela melhoria no atendimento interpessoal, tanto no posto de saúde quanto de agentes comunitários; contração de médicos especialistas; melhorar o transporte de pacientes, incluindo pedido de ambulância permanente em Americaninha; fortalecer atendimento odontológico; mais rapidez nos exames de maior complexidade e aumento de medicamentos na farmácia do município.

Com a lista de demandas em mãos e devidamente aprovada pela população, chegava ao fim a Conferência Municipal de Saúde promovida pelo governo que, mais uma vez, deu amostras de que é Pra Frente Que Se Anda e que, agora, fica com a missão de transformar toda essa discussão no Plano Municipal de Saúde com a garantia já firmada de que o mesmo percorra os caminhos promissores do Ministério Público e do Governo do Estado. #SaúdeComParticipaçãoDeTodos! #SecretariaDeSaúde#FabinhoFabão #PraFrenteQueSeAnda!